Capítulo 043 - Pets na estrada
Entrevistada: Debbie Corrano
Episódio lançado em: 09/12/2019
Música de Abertura: Cler Achel - (Tinariwen)

Honestamente, eu não tenho um momento exato de quando eu conheci o trabalho da Debbie Corrano, porém ela já me inspirava a aderir um estilo de vida mais nômade antes mesmo de eu me dar conta do que diachos era isso. Paulista, a 6 anos viajando o mundo com a Lisa, uma cachorra com mais de 11 anos. Debbie foi a 1ª pessoa que eu convidei para participar do Podcast Nômade.

Oriunda da zona norte de São Paulo. Debbie estudou publicidade e conseguiu dar mais sustentabilidade ao nomadismo, quando se tornou freelancer, criando estratégias e conteúdo para diversas empresas.

Mas colocando desta forma parece que o trabalho dela sempre foi remoto e a história não é bem essa. Antes de assumir o nomadismo para si, ela e seu ex-namorado Fê Pacheco juntaram dinheiro e foram passar uma temporada nos EUA. Com pouco mais de 2 meses o dinheiro acabou, e eles tiveram que se virar e prestar serviços remotos. Em um belo dia, trabalhando de New Jersey, Debbie e Fê se olharam e pensaram: “Que doidera, já pensou se seria possível trabalhar viajando?”

E assim, quando voltaram para o Brasil, eles pegaram trabalhos extra como freelancers para pagar os empréstimos que tiveram que fazer para quitar a viagem dos Estados Unidos. Com o tempo, os freelas já estavam dando mais dinheiro do que o trabalho fixo em agências de publicidade.

A vida em São Paulo foi se mostrando ilógica. Às vezes eles levavam 3 horas pra se locomover até uma reunião e mais 3 horas pra voltar para casa. E o pior, gastavam 6 horas de locomoção para ter uma reunião que só duraria 30 minutos. Os freelas não bastavam, e foi neste momento que eles começaram a prospectar apenas clientes remotos. Foi o momento de ir para Berlim.

Assim que chegaram na Alemanha, Debbie viveu um drama. Ao longo dos primeiros 2 meses os clientes remotos simplesmente sumiram. Foram 2 meses trancafiados na casa alugada com o orifício rugoso infra-lombar na mão, sem aproveitar nada de Berlin. Com o tempo os clientes foram aparecendo e a Debbie foi aprendendo a selecionar melhor seus clientes e educando eles à realidade nômade dela.

Hoje a Debbie se tornou uma referência em viajar pelo mundo levando animais de estimação. Ela possui um site chamado https://viajarcomanimais.com.br/, onde ela ensina diversas coisas necessárias para levarmos nossos melhores amigos pelo mundo com a gente. Eu acho esse trabalho maravilhoso e faço questão de divulgar.

No episódio Debbie me compartilhou dicas, por exemplo: Quando o cachorro está com medo, ele vai para o local que ele se sente mais seguro. No caso dos bixos da Debbie, é a caixa de viagem. Assim hoje em dia, quando Debbie simplesmente toca na caixa, os cachorrinhos dela já se animam pois sabem que vão passear.

Viajar com animais grandes é mais complicado. Debbie comenta que no futuro, se ela tiver outro animal, será menor, para poder viajar em uma bolsa de mão específica para o transporte de animais de pequeno porte.

Para além disso, outra coisa que me chamou muita atenção na experiência nômade da Debbie é que ela tem uma base.

No momento atual eu ainda me devo a leitura do livro Nomad Capitalist: How to reclaim your freedom, do autor Andrew Henderson, onde ele ensina como podemos direcionar nosso dinheiro para locais que não possuem tanta tributação, além de “fincar bandeiras” em pontos estratégicos pelo mundo. Criar nossos portos seguros, nossas bases. Pois bem, a Debbie estabeleceu uma base em Berlin e de tempos em tempos, quando a vida nômade pausa. Debbie vai para seu checkpoint financeiro e emocional.

Por fim, tivemos a oportunidade de bater um papo leve sobre afinal de contas o que é ser nômade? Chegamos a conclusão de que na realidade não importa se você viaja toda semana, ou de 2 em 2 anos. Rotular pessoas como nômade pode ser um limitador e para Debbie, ser nômade é não ter medo de mudanças.

Na verdade, Debbie prefere o termo “Location Independent”, pois atualmente parece que ao ser reconhecido como nômade a gente se vê forçado a mudar periodicamente. Para Debbie o termo location independent é mais suave, pois você não tem problema caso você resolva ficar em um único local pelo tempo que você achar necessário.

Gostou dessa reflexão? Ouça o episódio 043 na íntegra aqui:

- - -

Cupom de desconto no AirBNB
Podcast Nômade
Fonohouse
Apoie