Capítulo 051 - Ano um, por Heitor Alves
Episódio lançado em: 03/02/2020
Música de Abertura: Shiki no uta - (Samurai Champloo)

Eu gosto de pensar no episódio 051 como um registro de um momento em que eu “me dei mais uma chance”. Como qualquer vida, a minha vida é cheia de momentos onde eu me vejo tendo que fazer a escolha de continuar ou parar. Quando a decisão é complexa, eu gosto de parar e escrever os prós e contras de continuar ou parar, para tomar a decisão mais consciente possível.

No mês que antecedeu a publicação do episódio 051, eu fiz uma pesquisa com a audiência para compreender melhor onde eu estava me metendo e quem estava me dando uma generosa hora de atenção semanal. Neste episódio eu compartilhei os resultados do meu primeiro ano. Foi um episódio dividido em 5 blocos. Seguem abaixo:

Bloco 01 - Como surgiu o Podcast Nômade

Bloco 02 - Como o Podcast é feito

Bloco 03 - Sobre os convidados

Bloco 04 - Resultados da pesquisa

Bloco 05 - Próximos passos

Bloco 01 - Como surgiu o Podcast Nômade

Para quem teve a oportunidade de ouvir episódios como o número #001, #017, ou #030, ou leu o livro “Nomadesfera” eu conto com mais detalhe o surgimento do Podcast Nômade, então, de forma resumida, eu me sentia muito frustrado com a vida que eu levava até meus 28 anos. Em meados de 2018 eu saí do Brasil sem data para voltar, muito menos preparo para a jornada a minha frente.

Após me perceber constantemente solitário, eu me dei conta do quanto eu adorava me conectar com pessoas, além de ser músico desde 2005 e ter mais de 10 anos de edição de áudio e produção fonográfica. O surgimento de um podcast onde eu conversasse com pessoas em situação parecida com a minha surgiu naturalmente, e por consequência, aos poucos eu meio que fui encontrando meu lugar no mundo.

O primeiro episódio foi com meu amigo Lenilson dos Santos. Após quase 90 dias em Aveiro, norte de Portugal, faltando poucos dias para vencer o visto de turista na União Européia, eu e Maria seguimos rumo à Bucareste, capital da Romênia, onde Lenilson passava uma temporada. Nos encontramos no meu AirBNB e gravamos o 1º episódio, que foi lançado no dia seguinte, uma segunda-feira, dia 04/02/2019.

Bloco 02 - Como o Podcast é feito

É bom falar que no momento em que eu decidi começar meu podcast, eu estava financeiramente quebrado. Eu não tinha grana pra nada, e comecei a gravar utilizando meu smartphone (um Zenphone 4 Selfie).

Por sorte, eu tinha na ocasião um laptop Dell que já era meu companheiro de trabalho a uns 3 anos. Nesse ponto, a máquina já estava configurada e pronta para a labuta. Até hoje eu edito usando o Reaper (DAW - Digital Audio Workstation), que é o melhor software gratuito para edição de áudio. Para você ter uma noção, o segundo disco do meu duo folk Casaprima também foi gravado com esse laptop e com esse software.

Eu passei uns bons 3 meses de pura ansiedade em Portugal, querendo perceber algo que poderia me dar dinheiro para viajar, mas que não demandasse muito esforço. Eis que em 2 dias na gélida Bucareste, congelada por um gelo fino de fim de inverno, eu me dei conta que eu já tinha as habilidades necessárias para iniciar o podcast.

Em 2 dias eu descobri a plataforma Anchor, que servia para gravar com convidados remotos, editar e publicar episódios. Eu NÃO recomendo gravar ou editar pelo Anchor. Hoje eu utilizo o Zoom.us, mas de fato, por inexperiência, eu gravei os 24 primeiros episódios no Anchor. Eu nunca editei por lá, mas adianto, é muito limitado.

Quando eu voltei para o Brasil, eu tive acesso novamente a meu equipamento profissional de gravação. Minha placa de áudio Behringer e meu mic Samson foram um grande upgrade na qualidade sonora do podcast. Hoje, já pensando em voltar a viajar, eu comprei um outro microfone mais portátil, o Samson Meteor. E já estou namorando o Shure MV51, que é tão portátil quanto o Samson Meteor, porém com uma qualidade ainda mais superior.

Bloco 03 - Sobre os convidados

Hoje eu gosto de pensar que a solidão que eu senti quando comecei o podcast não era só minha. Para lhe dar uma noção cerca de 85% dos convidados entrevistados vieram por indicação da própria audiência. Eu tento ser sempre generoso e dar o holofote para o convidado. Quem já foi entrevistado sabe, eu sempre digo que “Aqui você está em um espaço seguro. Você pode ser quem você é, pode falar palavrão, tomar posicionamento político e se porventura desejar remover alguma parte da conversa, é só pedir!”

No episódio #049 com a Vero Motti, eu citei a música “Norte”, que dá nome ao 2º album do meu duo folk (Casaprima). Tem um trecho da letra que diz que “foi quando botei som de chuva para conseguir dormir”. Essa frase ilustra o podcast. Eu sempre fico surpreso que meu sentimento de solidão gerou identificação

Com o tempo, eu fui percebendo que existem “nômades famosos” como o Vinícius e a Paty do Casal Partiu, Anderson do 196 sonhos, tem o Fernando Kanarski, Lucas Morello, Debbie Corrano, Matheus de Souza, Fernanda e o Thiago (Monday Feelings). Nesse primeiro ano, eu também conheci algumas figuras bem aleatórias, como a Sophia Costa, o Caio Giachetti, o Jefferson Bernardino…

Iniciar esse trabalho foi muito positivo para mim. Eu aprendi muita coisa desde que comecei. A verdade é que eu não sabia absolutamente nada sobre nomadismo, sobre vacina de febre amarela, sobre vitamina D, sobre slow travel, sobre educação financeira, trabalho remoto, minimalismo. O Podcast Nômade foi (e é) uma escola.

Bloco 04 - Resultados da pesquisa

Aqui eu vou ser mais objetivo, com relação aos resultados coletados:

  • Eu entrevistei 58 pessoas do qual só conhecia inicialmente 4.
  • Foram 3217 minutos de conteúdo (53.7 horas de podcast)
  • Tempo médio de cada episódio: 1h06min
  • Curiosamente eu tive exatos 10.000 downloads de podcast no 1º ano.
  • A maioria da audiência (30%) ouve de 1 a 5 episódios
  • A maioria da audiência (77,5%) prefere ouvir sobre freelancer e trabalho remoto
  • A maioria da audiência  (82,5%) quer ouvir histórias de viagens e perrengues
  • A maioria da audiência (52,5%) disse que quer ser nômade
  • A maioria da audiência (62,5%) está entre 19 e 30 anos.
  • O Net Promoter Score NPS do Podcast Nômade é 80%
  • A maioria da audiência (42,5%) é do sudeste
  • A maioria da audiência (57,5%) é masculina

Para mais informações  (e alguns gráficos pizza), baixa o .PDF com os resultados da pesquisa no link a seguir: http://bit.ly/PesquisaNomadesfera2019 .


Bloco 05 - Próximos passos

Produzir conteúdo tem um lado positivo no que diz respeito à termos registros das pessoas que éramos no passado. Olhar os planos que eu fiz na semana passada é útil para me orientar e por minha cabeça no lugar, olhar planos que fiz a 1… 2 anos atrás é útil para perceber como eu evoluí como pessoa. Quais coisas eu de fato executei, quais coisas eu desisti de executar.

Na época do episódio 51, eu pensava isso para o ano de 2020:

  • Eu sinto que fui imprudente quando fui pra europa e tirei o ano de 2020 para aprender a ser nômade (o que de fato ocorreu, principalmente pela pandemia ter me colocado na coleira e acalmando coercitivamente meu desejo de viajar).
  • Preparo físico, financeiro, emocional. (Bom, ao longo de 2020 eu não só perdi peso, como ganhei massa magra, estruturei a Fonohouse, minha agência de podcasts, e tive a oportunidade de refletir, produzir bastante conteúdo e estudar muito sobre vida nômade, o que pesa no lado emocional. Eu ainda colocaria um ponto interessante: Eu acabei também me preparando muito no aspecto tecnológico, adquirindo equipamentos melhores e mais portáteis.)
  • Dar um passo pra trás para poder dar um salto pro futuro (Poético não? Bom, meio que foi isso mesmo que aconteceu. Se parar para observar, fora uma oportunidade de conhecer Buenos Aires, entre Junho de 2019 e Junho de 2021, quando eu saí novamente do Brasil, foram 2 anos me estruturando).
  • Eu me sinto um super impostor por estar falando de nomadismo sem estar viajando (Essa é verdade e ainda continuo sentindo isso, mas foda-se!)
  • Na época do episódio #051 eu cogitei terceirizar a edição e também resumir os episódios em textos para um blog (A parte da edição não ocorreu, pelo contrário, eu criei a Fonohouse e assumi a edição de podcasts de vários clientes, por lado, eu criei o blog nomadesfera.com, terminei meu primeiro livro e ainda lancei um canal no youtube no finalzinho de 2020. UFA!)
  • Lançar a campanha de financiamento coletivo (E eu lancei mesmo! Por hora ela segue com menos apoios do que o que eu gostaria que fosse, mas vamos trabalhando para melhorar o quadro).

Ao ver esse registro da minha vida ao longo de 2020, em um ano que surgiu a pandemia, eu penso… Até que foi um ano bom. Mentalizo a linha de chegada, foco no próximo metro.

Gostou dessa reflexão? Ouça o episódio 051 na íntegra aqui:

- - -

Cupom de desconto no AirBNB
Podcast Nômade
Fonohouse
Apoie